ANDARILHOS


Sigo meu caminho, tropeço em pedras
pelas trilhas vou, sem sinal de chegada
pontos de interrogação, só viso a partida
de um coração em nó, numa vida cansada


Labirintos atravesso, íngreme subida
caminhos vazios, cadê os atalhos?
vozes frias, não vejo o horizonte
pés machucados, alma em frangalhos


Andarilhos somos, viajantes do espaço
jornada ofegante, não vejo luz
vida opaca, nuvens carregadas
onde será que esse caminho conduz?


Importa tentarmos e seguir à frente
andar ou correr nessa luta cansada
para mais a frente podemos sorrir,
e cortar com júbilo a fita da chegada!


SUELYDAM

ARTE E FORMATAÇÃO

SuelyDam