Li num dos livros do Paulo Coelho.

 Certa vez, um mestre e seu discípulo caminhavam pelo deserto.

O discípulo perguntou:

Mestre! existe anjo da guarda?

Claro que sim respondeu o mestre, Eles existem estão por todos os lados e nos protegem de tudo.

 Mas agora vamos dormir que já é tarde, amarre os cavalos naquela árvore

e vamos descansar que amanhã teremos um longo dia pela frente.

 E o mestre se recolheu em sua barraca, enquanto que o discípulo ficou pensando.

Se os anjos da guarda nos protegem eles que cuidem dos cavalos, eu nao vou amarrar não, e foi dormir.

No dia seguinte os cavalos haviam fugido e ele ficou muito decepcionado.

Mestre, você disse que os anjos existem e cuidavam de nós porque nao cuidaram dos cavalos?

Filho, eles existem sim e estão a todo momento do nosso lado,

mas eles precisavam de suas mãos para amarrar a corda.

Com certeza iriam cuidar dos animais.

Portanto: jamais esqueça de amarrar sua cordinha

 
 
 
 

 Conta-se uma história, que em um certo dia,

uma criança desencarnou  e sua mãe não se conformava,

chorava dia e noite sem parar.

Ninguém aguentava mais ver seu sofrimento,

Um dia, sonhou com sua filha,

sonhou que chegava num lugar lindo  e lá tinha uma bela senhora,

toda linda, com varias crianças em seu colo e ao seu redor.

E procurou por sua filha, mas não a via entre essas crianças.

E procurando mais, percebeu sua filha toda molhada, triste, em um canto.

A mãe se desesperou e disse:

_ Minha filha querida, porque isso? porque você está assim??

 A menina, olhando para a mãe, disse chorando:

_ Choro porque as minhas asinhas ficam sempre assim, pesadas e molhadas,

por isso não posso me sentar no colo da mãezinha do céu, nem voar com ela.

_ Mas minha filha, porque? disse a mãe.

Que injustiça Meu Deus?? Porque permitem que minha filhinha fique desse jeito?? -

Gritava a mãe desesperada!

A filhinha triste e chorando responde:

_ Mamãe, são as suas lágrimas que me impedem de seguir.

Pare por favor, senão jamais encontrarei felicidade.

 
 
 
 
 
Uma historinha
 
Certa vez um senhor muito rico, desencarnou e chegou ao plano espiritual cheio de pompas quanto a sua situação quando encarnado, achando que ia ter o melhor que se poderia ter.
Quando foi recebido pelo seu anjo guardião (todos temos um) ele disse:
 Onde vou morar, onde vou ficar, onde será minha casa?
e o anjo prontamente lhe pediu que o acompanhasse pois iria lhe mostrar sua nova casa.
 
E saíram por uma alameda linda, arborizada, perfumada, cheia de flores
ele então viu uma residência linda, grande, formosa, e perguntou: Nossa que casa maravilhosa, quem mora aí?
O anjo respondeu: Você se lembra da Maria sua empregada?
sim, claro, porque?
Porque esta é a residência da Maria
O quê! disse ele abismado.
 
E essa casa, poxa tem até heliporto! que magnífica, quem mora aí?
Oras aí mora o Jarbas o teu motorista, lembra-se dele?
 
Uau! Se Maria e Jarbas moram em mansões, com certeza a minha deverá ser uma glória
estupenda, magnífica, onde é a minha casa?
 
Vamos meu irmão que logo chegaremos.
 
Aí saíram dessa alameda e entraram numa rua de terra, fedorenta, com córregos e lixo.
 
e de repente o anjo parou e disse: Aí está sua casa meu amigo.
Como? um barraco? feio? sujo? de terra?
Não aceito isso não, deve ter algum engano aqui
 
Não há engano algum disse o anjo.
 
AQUI FUNCIONA ASSIM:
 
"NÓS CONSTRUÍMOS A CASA...
O MATERIAL QUEM MANDA... SÃO VOCÊS!"
 
Tenham um Lindo dia

 

 

Certo dia, um anjo ajoelhou-se aos pés de Deus e falou:
"Senhor... visitei sua criação como pediu.
Fui a todos os cantos.
Estive no sul, no norte.
No leste e oeste.
Vi e fiz parte de todas as coisas.

Observei cada uma de suas crianças humanas.
E por ter visto, vim até o senhor... para tentar entender.
Por que? Por que cada uma das pessoas sobre a terra tem
apenas uma asa?
Nós anjos temos duas... podemos ir até o amor que o senhor
representa sempre que desejarmos. Podemos voar para
a liberdade sempre que quisermos.
Mas os humanos com sua única asa não podem voar".

E Deus respondeu:
"Eles podem voar sim meu anjo.
Dei aos humanos apenas uma asa para que eles pudessem voar
mais e melhor que Eu ou vocês meus arcanjos...
Para voar, meu amigo, você precisa de suas duas asas...
Embora livre, sempre estará sozinho.
Talvez da mesma maneira que Eu...

Mas os humanos... os humanos com sua única asa precisarão sempre dar as mãos

para alguém a fim de terem suas duas asas.
Cada um deles tem na verdade um par de asas... uma outra asa
em algum lugar do mundo que completa o par.
Assim eles aprenderão a respeitarem-se pois ao
quebrar a única
asa de outra pessoa podem estar acabando com as suas próprias
chances de voar.

Assim meu anjo, eles aprenderão a amar verdadeiramente
outra pessoa... aprenderam que somente permitindo-se
amar eles poderão voar.

Tocando a mão de outra pessoa em um abraço correto e
afetuoso eles poderão encontrar a asa que lhes falta... e poderão
finalmente voar.
Somente através do amor irão chegar até onde estou... assim como
você meu anjo.

E eles nunca... nunca estarão sozinhos quando
forem voar."
 

 

 
OS SUSSURROS DE DEUS
AO HOMEM
 
Certa vez um homem olhando para o céu disse:
Deus, porque eu não consigo te ouvir, porque você nunca fala comigo?
E um rouxinol cantou do lado.
Ele nem percebeu
Deus, porque eu não vejo você nunca, porque não me manda um sinal?
E um raio seguido de um relâmpago iluminou o céu fazendo luz e barulho.
Ele nem percebeu.
Deus, porque você não me faz um milagre, um qualquer que me mostre a vida.
Uma criança nasceu perto dele.
Ele não percebeu
Deus, porque você nunca me toca, nunca senti o teu toque na minha cabeça?
E uma borboleta pousou em teu ombro.
Ele percebeu, mas atirou-a longe!
 
Bem Deus, cansei, eu falo, pergunto, grito e você não me responde nunca...
 
Deus percebeu!!
 
Pense!
quantos sinais deixamos passar
porque somos cegos, surdos e mudos diante da criação!
 
E eu agora digo, DEUS,
obrigada por me mostrar todos os dias,
o quanto eu aprendo a te amar!
 
Suelydam
 

Viva como as Flores!


                                               (Autor desconhecido)


Diálogo entre o Mestre e seu discípulo:
 
-Mestre, como faço para não me aborrecer?
Algumas pessoas falam demais, outras são
ignorantes. Algumas são indiferentes.
Sinto ódio das que são mentirosas.
Sofro com as que caluniam.

- Pois viva como as flores! - advertiu o mestre.

- Como é viver como as flores? Perguntou o
discípulo.

- Repare nestas flores, continuou o mestre,
apontando as rosas que cresciam no jardim.
Veja bem! Elas nascem no esterco, entretanto são puras
e perfumadas. Extraem do adubo malcheiroso
tudo que lhes é útil e saudável, mas não
permitem que o azedume da terra manche
o frescor de suas pétalas.

Sendo assim, é justo angustiar-se com as próprias culpas,
mas não é sábio permitir que os vícios dos
outros o importunem.
Os defeitos deles são deles e não seus.
Se não são seus, não há razão para aborrecimento.
Exercite a virtude de rejeitar todo mal que vem de fora.

- Isso é viver como as flores!

 

Infelizmente não sei quem é o autor, se souberem me avisem que coloco ta?
 

 

Par Perfeito

Era uma vez um anjinho muito distraído chamado AMOREL, que recebeu uma incumbência de Deus:

- AMOREL, acabo de inventar os humanos. Eles estão classificados como homem e mulher, cada um tem seu par perfeito e já estão todos alinhados de par em par. Pegue esta bandeja com humanos e leve para que eles habitem a Terra.

AMOREL ficou contente pois, há muito tempo, o Senhor não o chamava para tão nobre trabalho. O anjinho pegou a bandeja e ao virar uma esquina lá no céu, trombou com uma anjinha chamada AMANDA.

A bandeja voou longe, e todos os casais de humanos se misturaram.

AMOREL e AMANDA ficaram desesperados e foram contar para Deus o ocorrido e o Senhor falou: - Vocês derrubaram, vocês juntarão! Porém, parece que Deus se esqueceu que os anjinhos eram distraídos. E é por isso que a cada dia os casais se juntam e se separam. Os dois anjinhos, trabalham incessantemente para que o par perfeito original se encontrem.

O trabalho é muito difícil, tanto é, que por muitas vezes eles juntam pares errados, pois os humanos espalhados ficam inquietos e cobram o serviço dos anjinhos, o tempo todo. Quando os humanos se mostram muito desesperados, os anjinhos unem dois desesperados, mas logo depois percebem o engano e os separaram, e por muitas vezes, esta separação é brusca, pois não se tem tempo a perder.

Recebi um bilhete dos dois anjinhos e vou mandar pra você agora.

"Se você é um humano, queremos pedir desculpas pela nossa distração, pois errar não é só humano! Estamos trabalhando com empenho, porém, sempre contando com a ajuda de vocês. Não se desesperem mas também, não se isolem.

Tentem se mostrar realmente, quem é cada um de vocês, pois a medida que cada um mostrar o que é de verdade, vai tornar o nosso trabalho mais fácil. Aproveitamos a oportunidade, para nos desculpar pelas separações abruptas, sabemos que elas geram muito transtorno, mas se nós o separamos de alguém, é por que em algum canto vimos alguém bem mais parecido e por isso precisamos isolá-los para facilitar o encontro."

autor: ??? num sei

Havia numa aldeia um velho muito pobre, mas até reis o invejavam, pois ele tinha um lindo cavalo branco... Reis ofereciam quantias fabulosas pelo animal, mas o homem dizia: 

-Para mim, este cavalo não é um cavalo, é uma pessoa. E como se pode vender uma pessoa, um amigo?

O homem era pobre, mas jamais vendeu o cavalo. Numa manhã, descobriu que o cavalo não estava na cocheira. A aldeia inteira se reuniu, e disseram:

-Seu velho estúpido! Sabíamos que um dia o cavalo seria roubado. Teria sido melhor vendê-lo. Que desgraça!

O velho disse:

-Não cheguem a tanto. Simplesmente digam que o cavalo não está na cocheira. Este é o fato, o resto é julgamento. Se isso é uma desgraça ou uma bênção, não sei, porque este é apenas um julgamento. Quem pode saber o que vai se seguir?

As pessoas riram do velho. Sempre souberam que ele era um pouco louco. Mas, quinze dias depois, de repente, numa noite, o cavalo voltou. Ele não havia sido roubado, mas fugido para a floresta. E, não apenas isso, trouxera uma dúzia de cavalos selvagens consigo. Novamente, as pessoas se reuniram e disseram:

-Velho, você estava certo. Não se trata de uma desgraça, na verdade provou ser uma bênção.

O velho disse:

-Vocês estão se adiantando mais uma vez. Apenas digam que o cavalo está de volta... quem sabe se é uma benção ou não? Este é apenas um fragmento. Você lê uma única palavra de uma sentença, como pode julgar todo o livro?

Desta vez, as pessoas não podiam dizer muito, mas interiormente sabiam que ele estava errado. Doze lindos cavalos tinham vindo. O velho tinha um único filho, que começou a treinar os cavalos selvagens. Apenas uma semana mais tarde, ele caiu de um cavalo e fraturou as pernas. As pessoas se reuniram e, mais uma vez, julgaram:

-Você tinha razão novamente. Foi uma desgraça. Seu único filho perdeu o uso das pernas, e na sua velhice ele era seu único amparo. Agora, você está mais pobre do que nunca. 

O velho disse:

-Vocês estão obcecados por julgamento. Não se adiantem tanto. Digam apenas que meu filho fraturou as pernas. Ninguém sabe se isso é uma desgraça ou uma bênção. A vida vem em fragmentos, mais que isso nunca é dado.

Depois de algumas semanas, o país entrou em guerra e todos os jovens da aldeia foram forçados a se alistar. Somente o filho do velho foi deixado para trás, pois se recuperava das fraturas. A cidade inteira estava chorando, lamentando-se porque aquela era uma luta perdida e sabiam que a maior parte dos jovens jamais voltaria. Elas vieram ao velho e disseram:

-Você tinha razão, velho. Aquilo se revelou uma bênção. Seu filho pode estar aleijado, mas ainda está com você. Nossos filhos foram-se para sempre.

O velho disse: 

-Vocês continuam julgando. Ninguém sabe! Digam apenas que seus filhos foram forçados a entrar para o exército e que meu filho não foi. Mas somente Deus sabe se isso é uma bênção ou uma desgraça. Não julgue, porque quando você julga, deixa de crescer. Julgamento significa um estado mental estagnado. E a mente deseja julgar, porque estar em um processo é sempre arriscado e desconfortável. Na verdade, a jornada nunca chega ao fim. Um caminho termina e outro começa, uma porta se fecha, outra se abre. Quando você atinge um pico, sempre surgirá um outro mais alto. Aqueles que não julgam estão satisfeitos simplesmente em viver o momento presente e nele crescer... e essa é uma maneira de caminhar com Deus.

 

“As páginas da vida, são cheias de surpresas...
Há capítulos de alegrias, mas também de tristezas...
Há mistérios e fantasias, sofrimentos e decepções...
Por isso não rasgue páginas e nem pule capítulos,
Não se apresse em descobrir os mistérios ,
Não perca as esperanças,
Pois muitos são os finais felizes...
E nunca se esqueça do principal...
No livro da vida... O AUTOR É DEUS!!!“ 


Certa vez...
 
Certa vez O Mestre do universo responsabilizou um de seus anjos
para que viesse a terra e fizesse um relatório sobre os seres "humanos"
que aqui habitavam e como corriam as coisas.
Veio o anjo todo feliz.
Ao desembarcar de sua viagem à terra ele viu um ser dócil, de olhar límpido e cristalino que lhe sorriu com o olhar.
Era um boi que se preparava para o trabalho no campo.
De repente surgiu um outro ser, que atrelou o animal a um arado e o fez trabalhar abaixo de chicote arando quilômetros de terra incansavelmente, sem dar um gemido sequer.
E o anjo observou a tudo e se foi.
De repente, ele avistou outro animal nas mesmas condições, que lhe olhou com ninguém jamais olhara.
Uma vaca que cedia seu leite fresquinho ao homem, leite que era de seu bezerrinho.
De repente uma mosquinha pousou nas ancas da vaquinha e ela chacoalhou o rabinho, que sem querer bateu no rosto do ser "humano" que a ordenhava.
Este se levantou tirou sua cinta e bateu diversas vezes na vaquinha. Até derrubando o balde que continha o leite.
O anjo a tudo observava.
 
Anotando tudo se encaminhou e saiu de volta para dar o relatório ao Pai Celestial.
No caminho ele encontrou um dos responsáveis pelo planeta que cuidava daquela área específica.
Onde vais com tanta pressa caro anjo?
Vou levar o relatório ao Pai Celestial
Vou dizer a eles que aqui tem cada ser dócil, lindo, de olhar puro e acolhedor. Pena que estes tem quatro patas.
E o outro ser abjeto, ruim, maldoso que faz cada coisa triste tem só duas pernas.
E porque estás assim pensativo? Os seres de que falas são os animais, e o outro é o homem. É assim mesmo.
Eu estava aqui pensando comigo mesmo, não sei se peço a Deus que levante duas patas dos animais ou abaixe as duas mãos do homem.
 
 
?
 
Esta é uma parábola, que ouvi numa palestra de minha doutrina,

portanto a reescrevi do meu jeito.

 

 

A fé que "não" temos.

SuelyDam

 

Vocês já viram como falamos tanto em fé, mas na hora H não a temos?

Imaginem que você tem um compromisso muito sério de manha e pede ao seu anjo da guarda que o acorde.

Ai você coloca o relógio, pede pra alguém te chamar, e ao seu anjo da guarda também.

Mas você dorme mal a noite inteira, tem pesadelos, medo de perder a hora.

Mas quando amanhece exatamente naquele horário o que acontece?

O cachorro late, o passarinho canta na janela,

alguém buzina na rua. Seu anjo está ali de plantão pra atender seu pedido.

Mas no entanto você já acordado a horas, com medo de perder a hora do seu compromisso.

e a fé em? onde está?

Certa vez um homem muito religioso, que dizia ter muita FE, estava quase morrendo afogado num  alagamento.

Aí ele disse a Jesus: Senhor! você diz que e minha luz e minha salvação e eu confio em você, vem me salvar?

Neste exato momento chegou um barco e disse: vem, viemos salvá-lo.

Não, eu não vou porque o Senhor Jesus e meu salvador e vem me salvar.

Depois jogaram uma corda de um helicóptero, e nada dele se segurar na corda esperando que Jesus o viesse salvar.

Ele morreu claro, afogado.

Quando chegou lá no "céu", ele estava bravo com Jesus.

Poxa, o Senhor viva dizendo que era meu salvador e na hora H o Senhor não veio.

Ai Jesus respondeu:

Filho, te mandei um barco, te mandei um helicóptero, você não quis, que posso eu fazer?

 

 

CERTA VEZ NUM REINO DISTANTE, O REI ESTAVA INDECISO QUANTO A QUEM DAR SUA COROA APÓS SUA MORTE, POIS TINHA 3 FILHOS GÊMEOS.
 
CONVERSOU COM O SÁBIO DA CORTE E O MESMO DISSE:
MEU SENHOR: DE A ELES ALGO DIFÍCIL DE FAZER, BEM DIFÍCIL, MAS QUE SEJA PROVADA A SABEDORIA DELES. E QUEM FIZER MELHOR FICARÁ COM O TRONO.
DIANTE DISSO, O REI CHAMOU SEUS 3 FILHOS E LHES ORDENOU QUE ENCHESSEM UMA SALA
DO CASTELO, TINHAM QUE ENCHER SEM QUE NENHUM CANTINHO FICASSE VAZIO.
O PRIMEIRO DELES PENSOU: ACHO QUE VOU ENCHER DE MILHO, ISSO, TRAREI SACAS DE MILHO EMBORA DEMORE ALGUNS DIAS PRA ISSO. E FICOU APENSAR
O SEGUNDO PENSOU: EU VOU TRAZER CANA, SIM ENCHEREI RAPIDO COM FEIXES DE CANA, MAS TAMBEM VOU DEMORAR ALGUNS DIAS.
O TERCEIRO SAIU QUIETO, FOI ATE SEU QUARTO E DE REPENTE VOLTOU COM UMA VELA ACESA.
 
O REI OLHOU PARA O SÁBIO QUE FEZ SINAL DE POSITIVO COM A CABEÇA.
 
E O REI NO DIA SEGUINTE DEU O TRONO A SEU TERCEIRO FILHO PELA SUA SABEDORIA
 
VOCÊS SABEM DO QUE ELE ENCHEU A SALA?
 
"DE LUZ"
 
NENHUM CANTINHO FICOU SEM SER PREENCHIDO.
 
PORTANTO LEMBREMO-NOS SEMPRE
 
"A LUZ QUE LEVAS A ALGUÉM VAI ILUMINAR-TE TAMBÉM"

 

 

Ofereço esta página a três amigas amadas

Orávia (Gatas), Teresa (Barsa) e Ana Maria (Barsa)

nós 4 amamos somos assim como crianças

ouvindo historinhas.