FÊMEA
Zenaide Giovinazzo
 
Delírios, palavras obscenas
sussurradas aos ouvidos,
toques em lugares proibidos...
 
Cheiro secreto de fêmea,
com possibilidades de carícias
e de exaurir-se em delícias...
 
Seios afagados, sugados,
provocando arrepios e gemidos
sem importar-se com ruídos...
 
Olhos faiscando de vontade
de entregar-se com calor,
sem decência ou pudor...
 
SP/06/01/2012
 

 
UM TALVEZ
Zenaide Giovinazzo
 
Entro em teus sonhos
e sinto na epiderme
os beijos risonhos
que causam arrepio
e aquecem-me do frio...
 
Devorando distâncias
pensamentos voam,
sopram aos teus ouvidos
palavras de amor,
carinhos imaginados
jamais trocados...
 
Promessas que atordoam,
desejo feroz sem limites,
juras, palavras, poesias
e a esperança solitária
de encontrar-te na multidão
ou em alguma constelação...
 
SP/01/01/2012
 

 

 O VIGOR DO BEIJO
Zenaide Giovinazzo
 

O beijo começa no desejo,
na voluptuosa imaginação,
nas palavras delirantes,
ansiosas, invadindo o coração...
 

O potencial do afago,
sufocante, devagar desliza
e os certeiros movimentos
a vontade de aninhar, avisa...
 

A mágica força da atração
usa o conhecimento do fogo
para desvendar lúbricos caminhos
e iniciar o picante jogo...
 

Beijo molhado, demorado,
lingua serpenteando a boca,
suores, arrepios, mãos erotizadas,
iniciando a íntima dança louca...
 

SP/18/02/2012