O Poeta e a Poesia Donzela

No Mundo das Poetagens,
se encontraram u'a noite bela
o Poeta sempre apaixonado
e uma linda Poesia Donzela

Em ambos o destacado olhar
era o que de mais se notava
Ele com o olhar transparente
Ela com o olhar que encantava

Mas foi na troca de sorrisos
que perderam os seus juízos
seus silêncios denunciaram
o momento do amor preciso

E assim, pela doce telepatia
foi o encontro da noite e dia
foi o doce cantar du'a cotovia
foi o beijo do ideal e a utopia

Foi então que a Poesia despida
lhe fez o juramento de sua vida
prometendo amar a esse Poeta
por toda a sua vida completa

Do mesmo modo no mesmo tom
O Poeta publicamente - alto som
A segurando docemente pela mão
Se compromete a dar seu coração

E como que a sincronizado sinal
O Amor se mostra incondicional
e por todas as Sete eternidades
juram Amar, se amar de verdade!
...
by: Zeca Feliz - gaDs!
 

Dançando com as Nuvens
 
 
Em todos os mundos e fundos
foram os ventos mensageiros
levando pessoalmente
(pois saibam que vento também é gente)
este alvissareiro convite:
"Todos os seres e astros
dos Uni_versos di_versos
o convidam para o Baile no Céu"
Assinado: Anjo Miguel.
 
 
Foi assim que no dia marcado
em um lindo planeta alugado
o baile foi realizado.
E no Grande Livro Estelar
para toda a posteridade
foi registrado o evento
sendo escriba novamente
o mais velho de quantos ventos
 
 
A Orquestra para o evento
trouxe Strauss, Chopin, Bethoven
diretos do Paraiso
com todos arcanjos e anjos
que tiraram folga no céu
e na batuta - Miguel.
Straus deu inicio ao baile
e ao som da valsa do imperador
todos se viram dançando
de mãos dadas com o Senhor
 
 
Não passaram despercebidas
meninas Nuvens floridas
com roupas feitas de véus
e os cabelos em caracóis
dançando com todos os sóis
enquanto bem coladinhos
uma linda estrela-ninfeta
dançava com um belo cometa
 
 
 
 De Andrômeda as filhas presentes
em luzes resplandescentes
desfilavam nas passarelas
como se fossem só delas
ao som de muitos suspiros
dos jovens meteoritos
que qual todos os jovens dos mundos
se julgavam os mais bonitos
 
 
Com ciúmes do sol a lua
(saibam que o ter ciúme
não é humano privilégio)
se comportava qual toda a menina
debutante de colégio
Mas, todos mui bem sabiam
tanto agora como antes
que o casal Sol e Lua
são ternos e_ternos amantes
 
 
Ah - certamente que nesse baile
todas as almas apaixonadas
dançavam com seus amores
pelos espíritos liberadas
e o som contagiante
tinha o poder do amor
de tornar iluminada
toda a alma que amante...
qual a minha neste instanT !
 
 
Foi então que um Raio de Luz
no formato de uma cruz
penetrou fundo nas almas
e nos corações dos espíritos
agradecendo aos céus,
e a quem a Tudo criou:
o Senhor dos Infinitos!
 
 
Uma canção de Amor

 
Transmutado em AlmAmada
este Boto afoito,
segurando uma rosa,
na mística prosa,
canta u'a canção:
 
"Já estive nos mares,
cruzei todos os rios,
e por dias a fio,
eu ando a procura,
da virgem poeta -
rainha das festas,
 fui no Rio, na Lagoa
pois o amor de minh'alma voa
sentindo o sentir da linda Poeta
que nas agruras da vida, 
ainda está deprimida...
 
o meu coração,
em tom de ultra_som,
eu grito seu nome!
Onde está você?
Que se enrosca em minha língua,
me come, consome,
flutua nas ondas
de  minha paixão,
e em seguida... Some!!!
 
 E o vento mensageiro,
qual flecha do cupido,
carrega a mensagem
por todos os mares...
E - sem muita demora,
sibila no ouvido
deste boto atrevido:
 
 Encontrei tua amada,
parecendo cansada,
com falta de dengo,
e no seu coração,
carente de afeto,
cheio de emoção,
vi a solidão...
Vi a pior delas -
aquela em que a gente,
cercada de gentes,
não vibra - não sente!
 
 Ouvindo o relato,
me torno então sério,
com ar de mistério,
pelo mesmo vento,
o faço portador
de uma carta de amor,
que simples - bem simples -
somente dizia:
"Te Amo... Amor...
Linda Menina_Flor!"
 
 E o Vento veloz
meu fiel Mensageiro
Voa rumo às águas
do Rio - da Lagoa
na noite inda escura
pois sabe que a Carta
está plena de amor
que a "tudo cura"!!!
...