A  SÓS

 

 

Porta entreaberta à minha chegada;

adentro sorrateiro, como sempre faço.

Chuveiro ligado, esperando minha entrada;

envolvo seu corpo molhado num abraço.

 

 

Beijos molhados, corpos ensaboados,

vontades redobradas com sexos colados.

Chão molhado com pegadas insanas,

nossos corpos jogados na cama.

 

 

Beijos ardentes, respirações ofegantes,

mãos abusadas, perdidas, buscando algo;

algo que quer ser encontrado por mãos anelantes.

Nesse instante, sou vagabundo e não, fidalgo.

 

 

Seus seios pontiagudos ferem meu lábio;

minha boca os petisca avidamente.

Há um chamamento do seu corpo sábio

pelo meu sexo a penetrar você duramente.

 

 

Suor escorrendo testa abaixo, o que fazer?

Olhos vermelhos fixos em você, sem parar,

pensamento intenso para gozar.

Vou eu e depois você, num só prazer.

 

Amém

Marcos Toledo

 

 

 

 

ALGEMAS

 

Vejo seu corpo ele me alucina

Preciso te amar, venha e me ensina

Sacie meu desejo com seu canto

Mergulhe-me em seu mar de luxurias e encanto

 

Seu rosto não vejo ainda

Mas mesmo assim a desejo e a vejo linda

Seu seios firmes e pontiagudo

Me deixa inquieto e mudo

 

Seu desejo será saciado assim como meu

Entre quatro paredes num eterno breu

E na escuridão de nossos sonhos nos tocaremos

Nos amaremos, nos saciaremos e finalmente nos realizaremos

 

Vida, plena vida é o que queremos sem prisão

Algemas e vigilância constante isso não!

Agora podemos ser nós mesmos sem temor

Poderemos simplesmente viver esse nosso amor

Amém

Marcos Toledo

 

 

 

 

 

VIDA DE AMANTES

 No rádio, o silêncio tocando...

O chuveiro aberto e a água, seu corpo, molhando.

A cama desfeita, sinal de que havia alguém se amando.

 

No ambiente, o cheiro de sexo.

Meu corpo estirado ali, com pensamentos sem nexo,

mas repleto do nosso amor, perplexo.

 

O ar-condicionado que não deu conta do calor,

devido à intensidade do nosso amor...

Quando terminamos, é que sentimos seu frescor.

 

Você envolta na toalha, do chuveiro, voltando,

eu sentado na cama, me arrumando.

Em seu olhos, descubro que você está chorando.

 

Com a conta já pedida,

 vem também uma água para ser bebida.

Mais lamentos em nossa despedida...

 

O desejo de voltarmos o quanto antes;

nossa saída furtiva para evitar flagrantes.

Esta é a nossa vida de amantes.

 

Amém

Marcos Toledo