MAIS UMA FLOR DO TEU JARDIM

Luiz Poeta



Luiz Gilberto de Barros – às 22 h e 1 min do dia 2 de dezembro de 2012,




Quem oferece, de maneira afetuosa,

A melhor rosa que compõe o seu buquê,

Percebe o quanto uma flor é poderosa,

Ante o olhar de quem a ama quando a vê.



Ama-se a flor, quando o jardim onde ela habita,

É bem cuidado, protegido pelo amor;

E é nesse amor que cada flor torna infinita

A mais bonita flor que habita um outro amor.



Não é na água que uma rosa se eterniza,

Quando ela murcha, a roseira que a gerou

Se recompõe de um novo amor que poliniza



Um novo tempo colorido do jardim

E é assim com teu jardim, que me ofertou

Mais uma flor do teu amor dentro de mim.

 

 

NÃO

Luiz Poeta

Luiz Gilberto de Barros – iniciada às 18 h e 50 min do dia 20 de agosto de 2010 e terminada às 18 h e 18 min do dia 3 de dezembro de 2012 do Rio de Janeiro, 

 

Tu sempre dizes que me amas, entretanto

O teu encanto se desfaz a cada dia,

E em cada gota disfarçada do  teu pranto,

O desencanto rouba minha fantasia.

 

Tu dissimulas uma dor em cuja essência,

A inocência de um amor tornou-se adulta

E na oculta compreensão da tua ausência,

Meu coração é a razão que te sepulta.

 

Por ironia, num retrato, sem moldura,

Nossa ternura se dissolve em preto e branco

E mesmo quando a tua ausência me procura

 

O meu olhar nem se reveste de emoção,

Pois se dissolve na mudez de um riso franco

E se alguém diz que  sou feliz... eu digo: - Não.

 

 

TUAS ALCOVAS E SUÍTES

Luiz Poeta

Luiz Gilberto de Barros – às 18h e 45min do dia 3 de dezembro de 2012 do Rio de Janeiro

 

Tu regurgitas o amor que alguém te doa,

Quando te voas qual se fosses uma fada;

Cada suspiro teu é som que em vão ecoa

Pelas alcovas e suítes alugadas.

 

Estando a sós com o dinheiro que trocaste

Por teus gemidos e suspiros de atriz,

Mais uma vez notas apenas que pagaste

O que ganhaste, imaginando-te feliz.

 

Enquanto isso, cada amante eventual

Que se sacia num momento de prazer,

Segue seu rumo, enquanto aguardas outro igual

Bem diferente de quem tu querias ter

 

Pois cada boca desejosa que beijaste

Se diluiu na tua amarga solidão

E mesmo aquele que, em vão, tu afagaste,

Tu sufocaste dentro do teu coração.

 

PARA O CANTEIRO DE GIRASSÓIS MAIS LINDO DA NET

(Feito especialmente pro site Girassol Dourado - Página de Poetas)

Obrigada pela honra Poeta, a cesta de flores é tua.

 

 

 

Tube Ana Ridzi