PORQUE  TE  AMO  DEMAIS

 

Além da imaginação, minha realidade

É viver o sonho que trago no peito:

Sentimento tão forte, meio insanidade

De senti-la em mim, talvez meu defeito...

 

Através de seus olhos enxergo a vida,

Respirando sua respiração sobrevivo...

De teu corpo eu faço a minha avenida,

Em cada esquina encontro um motivo...

 

Viagem só de ida, jamais quero voltar,

Viajar o teu mundo e querer muito mais,

Nos teus mares profundos eu me afogar,

Nada sou sem você porque te amo demais.

 

 

 

 

 

SILÊNCIO

 

Palavra má, que nada diz...

Me deixa mudo e nada ouço,

Cala na alma o bem que fiz,

Me colocando num calabouço...

 

Palavra crua, ferindo a gente,

Afasta amigos, afasta amores,

Tira o sossego, é intransigente,

Abrindo o chão, desbotando cores...

 

Este silêncio hoje é quem me diz,

Que no silêncio que hoje se faz,

Lá no meu passado eu já fui feliz,

Por ouvir a voz que não escuto mais...

 

 

POETA  CALADO

 

Porque poeta de cinzas te veste,

Se cinzas são lembranças consumidas ?

Pedaços que de sua vida deste

Sem perceber a sua, tão pervertida...

 

Joga as cinzas no ar, liberta-te agora,

Teu passado apagado não é mais teu,

E o tempo corre sem marcar hora

Em meio ao tempo que já se perdeu...

 

Transforma a dor em palavra não dita,

A nascente do peito que bate e reclama

A caligrafia tão firme contando de ti,

 

Do sentimento preso, amarrado com fita

No sangue que é quente, nunca derrama

A essência que é pura e que fala por si.

 

Ervin Figueiredo 

Arte: Katia Karube