VIDA A DOIS...


É nós vivemos rindo de tudo,
Nossos olhos apreendendo cada detalhe em nós...
Em nossos gestos incontidos,
Naqueles que deixamos ao relento...
Aqueles que soltamos ao vento!
E aqueles que guardamos a sete chaves no intimo... Sós!
E choramos por tudo:
Pelos beijos mal dados, pelos beijos roubados,
Pelos então só desejados, beijos deixados para depois...
E pelas dores no peito,
Pela vida que vivemos sem ter jeito,
Por não ser como desejávamos a dois!
E caminhamos sem lenço e sem documento,
Aproveitando cada momento,
Sem se preocupar com o que virá após...
- Vivendo vamos indo sem medo e sem culpa...
A vida é tudo isso, e muito mais: Pura loucura!
Pois é o que já foi vivido,
É o que teremos que viver depois!

Edvaldo Rosa
29/04/2013
www.sacpaixao.net


 

Poesia na varanda...


A noite dorme profundo dentro de teus olhos negros,
A menina de meus olhos brinca com o brilho de estrelas,
Nos fios finos de teus cabelos...
- Que uma brisa fria revolve alheia aos meus dedos!
Tua boca murmura desejos e medos,
- Enquanto teu corpo pulsa ante meus afagos,
Colada em minhas orelhas, entre mordidas e beijos...
Teu olhar fixa-se ao meu, e no corredor adentro,
- Teme que venham quebrar a magia do momento!
Tudo e todo o tempo parecem se paralisar,
Na varanda, plena de poesia e encantamento
Não existem passos... E nossos atos estão sob câmera lenta,
Enquanto nossos sentidos ora se revolvem, ora se pacientam,
Já ao longe só o canto da passarada
E o farfalhar da mata pelo caminhar do vento...
Enquanto a noite corre, lenta!

Edvaldo Rosa
www.sacpaixao.net
12/03/2013


As tuas fotos...


As fotos que capturaram as tuas formas,
me informam ainda agora,
sobre um encantamento!
Avivam memórias,
de desejos e sentimentos...
Noto que o tempo passado
nem foi vão ou mal utilizado;
Eu te amei outrora!
E ainda te amo agora!
E súbito me alegro!
E subitamente também me entristeço:
Foi tão bom o nosso encontro!
É tão bom tê-la ao meu lado!
Pena que tem horas que nós nos esquecemos
de tudo isso, de nosso começo...
E de tão precisados um do outro,
olhamos chorosos certas fotos,
em que mal vemos amarelados os nossos rostos...
Igual aos dias em que mal nos encaramos,
e quando nos olhamos, em certas horas,
que nem nos vemos!


Edvaldo Rosa
07/03/2013
www.sacpaixao.net