Parabéns Poetisa Suely Aparecida Damasceno,

já é Autora no Portal CEN

Seja muito bem vinda!
 


A T E N Ç Ã O



Para visualizar as suas páginas corretamente clica nos links abaixo:



http://www.caestamosnos.org/autores/autores_s/SUELY_DAMASCENO.htm



http://www.caestamosnos.org/autores/autores_s/SUELY_DAMASCENO-1.htm



http://www.caestamosnos.org/autores/autores_s/SUELY_DAMASCENO-2.htm





Receba o nosso caloroso abraço

Maria Beatriz (Flor de Esperança)

"Assessora do Intercâmbio Cultural do Portal CEN - Portugal"


 

 


Amor...
que não se descreve!
Sudam


Não posso descrever tamanho encanto
desse Amor lindo que me arrebatou,
sinfonia dedilhada pelos anjos
em harpa excelsa que Deus enfeitou

Não existe Amor tão grande que não caiba
na redoma de nosso coração;
por ser sublime, ungido foi, que eu saiba,
pelo universo inteiro em oração!

O Amor que é tudo, que é lua e que é sol,
perfume que enlanguesce a terra e o ar,
da cor de um amarelo girassol,
tão suave como um pássaro a voar...

Pra enaltecê-lo eu rogaria ao vent0
secasse com seu sopro a água do mar
e em seu leito se erguesse um monumento
pra que o Amor se pudesse exaltar.

Viver sem ele seria um tormento
sem algo bom podermos desfrutar...
Mas hei de tê-lo no meu pensamento
enquanto a vida em meu ser perdurar!

SuelyDam

 



SOMBRAS DA ALMA!


Sombrias névoas de opacas luzes,
há breu no céu, tempestade iminente...
mortiços véus onde antevejo cruzes
profanas vozes, lampejos torpentes.

Negrume n´alma, névoa na palma,
no espelho vejo flutuarem sombras,
trovões noturnos a tirar-me a calma
queimando das nuvens as negras alfombras!

Trevas escondem de mim qualquer luz
nesta vida tão triste e conturbada;
tropeço em lama, mas levo a minha cruz
seguindo da existência a longa estrada!

Ninguém me ampara nesta provação
mas em meu peito inda há uma fé presente;
talvez a torne Deus aquela mão
que me puxe do abismo e me acalente!

SuelyDam
04/10/2006

 



QUEM ME DERA...
SuelyDam


Quem me dera voar pelo infinito
e lá de cima libertar meu grito,
descrever a cantar como é bonito
termos nascido neste chão bendito!

Pra olhar lá de cima a face da terra
quem me dera voar pelo infinito!
Ah, se eu pudesse eliminar a guerra,
e a dor findar neste planeta aflito!

Queria ter asas iguais às dos anjos
pra ver meu sonho se concretizar,
e através de mil líricos arranjos,
A paz no mundo voltaria a reinar.

Seria a mais feliz das criaturas
se Deus ouvisse o meu orar contrito
e a terra povoasse de almas puras...
Quem me dera voar pelo infinito!

SuelyDam